Como montar uma clínica de psicologia

como abrir um consultório de psicologia

Como montar uma clínica de psicologia? Em geral, os profissionais de psicologia que se dedicam a atendimento em consultório o fazem de forma autônoma. E isso traz limitações, porque obviamente só é possível atender um paciente de cada vez (a exceção de pacientes atendidos em grupo). Para empreender e, assim, ampliar as possibilidades de ganho, estes profissionais podem abrir uma clínica de psicologia, reunindo outros profissionais e, naturalmente, recebendo mais pacientes.

Montar uma clínica de psicologia não é uma tarefa difícil. O Gerando Empreendedores apresenta o passo a passo para transformar seu consultório em uma clínica psicológica, ampliando seu campo de atuação e possibilitando um faturamento bem maior.

Quem pode abrir e comandar uma clínica de psicologia?

Somente um profissional graduado em psicologia, devidamente registrado e em dia com o seu conselho de classe – o Conselho Regional de Psicologia de seu Estado de atuação – pode comandar uma clínica psicológica. Para clinicar, o psicólogo deve ser formado por uma Faculdade de Psicologia, reconhecida pelo Ministério da Educação.

Para abrir uma clínica de psicologia, é preciso atender a uma legislação específica:

  • Lei Federal nº 4.119/1962 – Dispõe sobre os cursos de formação em psicologia e regulamenta a profissão de psicólogo.
  • Decreto Federal nº 53.464/1964 – Regulamenta a Lei nº 4.119, de 27 de agosto de 1962, que dispõe sobre a profissão de psicólogo.
  • Resolução nº 10/2005 do Conselho Federal de Psicologia (CFP) – Aprova o Código de Ética Profissional do Psicólogo.
  • Responsabilidade Técnica – Uma clínica de psicologia deve ter a responsabilidade técnica de um profissional de psicologia, registrado em seu quadro e devidamente habilitado pelo Conselho Regional de Psicologia local.
  • Registro do empreendimento – Não basta apenas contar com um responsável técnico no quadro da clínica de psicologia. É preciso, também, obter um registro específico para a clínica no Conselho Regional de Psicologia local.

Público-alvo de uma clínica de psicologia

Qualquer pessoa – crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos – pode recorrer a um psicólogo para atendimento de uma demanda específica e para se conhecer melhor. Os profissionais de psicologia entendem, inclusive, que todos nós precisamos de um espaço de fala e de escuta. Em geral, trata-se de uma demanda pessoal, ou seja, a iniciativa de procurar um psicólogo é do próprio paciente, a exceção de crianças e adolescentes, que muitas vezes são encaminhados para tratamento por indicação escolar.

Mas há, ainda, um gigantesco público específico, formado por associados de planos de saúde. Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em dezembro de 2019 o país contabilizava 47.039.728 associados de planos de saúde, e este contingente de pessoas têm direito a consultas com profissionais de psicologia.

O que é preciso para montar uma clínica de psicologia?

Se você é um profissional de psicologia formado, devidamente registrado e em dia com suas obrigações de classe, meio caminho já foi percorrido. Você precisará resolver alguns entraves burocráticos, e para isso a contratação de um escritório de contabilidade ajudará muito. Você precisará dos seguintes documentos para abrir uma clínica de psicologia:

  • Documentação no cartório de pessoas jurídicas ou Junta Coemrcial (ato constitutivo);
  • Inscrição Municipal;
  • CNPJ;
  • Alvará de funcionamento (Secretaria Municipal da Fazenda);
  • Licença do Corpo de Bombeiros (apenas para grandes espaços);
  • Registro de responsabilidade técnica junto ao Conselho Regional de Psicologia:
  • Registro da clínica no Conselho Regional de Psicologia;
  • Licença da Vigilância Sanitária

Além de resolver toda a questão burocrática, evidentemente será necessário contar com um local devidamente preparado para abrigar os consultórios individuais, com sala de espera, banheiro para visitante e uma pequena copa de apoio.

Você também precisará contar com outros psicólogos, ampliando, assim, a possibilidade de receber mais pacientes. Todos os psicólogos devem ser formados, registrados e em dia com o CRP local. Vale destacar que estagiários não podem atender.

E mais: um escritório de contabilidade deve ser contratado para fazer toda a gestão contábil da clínica e o controle financeiro, evitando erros no pagamento de impostos, o que gera prejuízos financeiros, multas e até mesmo o fechamento da clínica. Os principais tributos que incidem sobre a atividade de clínica de psicologia são:

  • Receitas de venda de serviços: IRPJ, CSLL, PIS, COFINS.
  • Prestação de serviços: ISS
  • Folha de salários (se houver empregados): contribuições previdenciárias / INSS.
  • Patrimônio (se for o caso): ITR; IPTU e IPVA.

Qual o melhor formato jurídico para uma clínica de psicologia?

Ao montar uma clínica de psicologia, você deixará de atuar de forma autônoma. Mas será que essa troca será vantajosa? Autônomos recolhem imposto de renda mensalmente, e o valor do imposto segue uma tabela progressiva de acordo com a renda apurada, com variação de 7,5% a 27,5%. Atuar como autônomo pode significar maior recolhimento de impostos, o que já torna mais vantajoso optar pela clínica de psicologia pessoa jurídica. Se o seu faturamento for maior do que R$ 5 mil, já é mais vantajoso monetariamente optar pelo formato da pessoa jurídica para clínica ou consultório psicológica.

A clínica terá um CNPJ, emitirá notas fiscais e, assim, poderá ser enquadrada no regime tributário chamado Lucro Presumido ou pelo Simples Nacional. No primeiro caso, os impostos são a partir de 16,33%, enquanto no Simples Nacional a atividade de psicologia é sujeita ao fator R e, portanto, pode ser regida pelo anexo III, com uma alíquota inicial de 6%, ou pelo anexo V, com uma alíquota inicial de 15,50%. Seu contador certamente irá lhe ajudar a definir a melhor opção.

Mas qual é o melhor formato jurídico para uma clínica de psicologia? Existem três opções jurídicas:

  • Empresário Individual: formato para aqueles que trabalham por conta própria, sem sócios, mas que querem formalizar seu negócio. Neste formato, não é exigido capital social mínimo. Esse formato tem uma desvantagem que deve ser considerada: o profissional poderá responder por dívidas da empresa, colocando seu patrimônio pessoal em risco.
  • Eireli: A Empresa Individual de Responsabilidade Limitada pode ser constituída por apenas um sócio, mas é preciso declarar um capital social de no mínimo cem salários mínimos (R$ 103.900,00). Mas o empreendedor não tem seu patrimônio pessoal ameaçado por dívidas da empresa porque o capital social funciona como garantia para empregados e fornecedores em caso de dívida ou falência.
  • Sociedade Limitada: É uma associação que estabelece normas com base no valor investido por cada sócio (é preciso contar com ao menos dois sócios no empreendimento). O objetivo é proteger o patrimônio de cada sócio em caso de falência, afastamento ou rompimento da sociedade.
  • Sociedade Limitada Unipessoal de Psicologia: Criada pela lei da liberdade econômica, permite que você que pretende abrir uma clínica de psicologia. possa realizar a abertura da empresa sem sócio, protegendo assim seu patrimônio pessoal.

Existe, ainda, a opção do Microempreendedor Individual (MEI), mas esta não é permitida para profissionais que atuam em atividades intelectuais e de profissões regulamentadas, que é o caso do psicólogo. Além disso, o MEI só pode contratar um funcionário e o faturamento anual não pode ultrapassar R$ 81 mil.

Escolha do local da clínica de psicologia

Um ponto importante na abertura de uma clínica psicológica é a escolha do local. O imóvel precisa ser atendido por uma boa rede de transporte público, contar com opções de estacionamento (de rua e privado), deve ser localizado em um local seguro, de grande circulação de pessoas, e deve estar em um bairro onde mais circulam pessoas do seu público-alvo.

Não há um tamanho padrão para o funcionamento de uma clínica de psicologia. É preciso apenas que o espaço comporte pequenas salas, para o atendimento individual, e uma sala um pouco mais espaçosa, caso haja interesse em atender grupos terapêuticos. A clínica precisa contar com uma confortável sala de espera, banheiro e uma pequena cozinha de apoio. E atenção: o imóvel deve atender a legislação municipal, respeitando as definições da prefeitura de seu município. Lembre-se de que se trata de um imóvel comercial.

Você precisará:

  • móveis adequados e confortáveis para os profissionais e os pacientes;
  • computador e impressora;
  • banda larga;
  • água filtrada;
  • música ambiente na sala de espera (em baixo som), além de revistas;
  • softwares gerenciais;
  • arquivos e armários.

Como divulgar seu consultório de psicologia

Divulgar sua clínica de psicologia é fundamental para a conquista regular de novos pacientes. Em primeiro lugar, você precisará de uma logomarca. Trata-se da identidade visual da empresa. Um  agência de design ou marketing poderá lhe ajudar.

É importante manter um site atualizado e uma boa iniciativa é disponibilizar um blog ativo, com artigos sobre temas correlatos. O Instagram e o Facebook também devem ser utilizados, mas é preciso ter foco e descrição, jamais expondo os pacientes da clínica. As redes sociais são excelentes para valorizar o exercício da profissão do psicólogo, fortalecendo sua atuação profissional e demonstrando suas expertises.

Tipos de serviços que seu consultório de psicologia pode prestar

Além do atendimento psicológico individual e em grupo, sua clínica poderá prestar serviços de psicopedagogia, orientação vocacional, terapia de casais e de famílias, acompanhamento pré e pós-operatório e até mesmo prestar serviço para o Detran local. Uma forma de ampliar o número de pacientes é reservar uma parte dos horários para a chamada clínica social – nestes casos, os pacientes pagam valores menores do que os praticados na tabela porque não têm condições de arcar com tais custos.

Credenciamento nos planos de saúde

Uma excelente opção para o atendimento de um maior número de pacientes é credenciar a clínica em diversos planos de saúde, abrindo, assim, a clínica para seus associados. De acordo com a Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abrange), o preço médio de uma consulta psicológica pago pelos planos está em torno de R$ 80,00, dependendo da operadora e da região.

Para se credenciar a um plano de saúde, é preciso preencher um cadastro e entregar uma série de documentos. Uma clínica de psicologia pode se cadastrar em diferentes planos de saúde, sem restrições. Em geral, são exigidos os seguintes documentos:

  • Contrato social;
  • CNPJ atualizado;
  • CCM (cadastro municipal);
  • CNES;
  • Comprovante de pagamento do ISS e da taxa de fiscalização de estabelecimento;
  • Alvará de vigilância sanitária e de funcionamento atualizado;
  • Currículo completo de todos os profissionais da clínica;
  • Relação descritiva do corpo clínico;
  • Comprovante de conta bancária.

A saúde da clínica de psicologia

É preciso cuidar da saúde da sua clínica psicológica. Ao optar por esse formato de negócio, lembre-se de que você não é mais autônomo. Além de atender aos seus pacientes, você precisa cuidar da gestão do negócio, mantendo-o saudável e lucrativo. Dá trabalho, é verdade, mas os resultados serão compensadores.

Para isso, será importante contratar uma contabilidade especializada em consultórios e clínicas de psicologia. Você pode focar apenas no seu serviço principal e terceirizar até a gestão financeira do seu negócio.

Outro ponto importante é vendas dos serviços. Não cometa o erro de não divulgar seus serviços, pois é essencial ter pessoas buscando por você e sua oferta seja sempre menor que a demanda. Fale como nossos especialistas, iremos te ajudar a crescer sua clínica ou consultório de psicologia.

Portal Gerando Empreendedores
Portal Gerando Empreendedores
A primeira escola de empreendedorismo no Brasil formada por Contadores e Financistas Especializados. Somos o maior apoio paras as Micro e Pequenas Empresas.
Preciso de Ajuda