Como abrir uma empresa: guia completo

como abrir uma empresa - abertura de empresa

Como abrir uma empresa? Essa é a primeira pergunta que todo empreendedor deve se fazer, e é muito importante que ele pense nisso o quanto antes porque a legalização do seu negócio, seja ele qual for, é o primeiro passo para torná-lo viável e pronto para crescer.

Um negócio formalizado tem muito mais aceitação e condições para conquistar o seu espaço no mercado. O Gerando Empreendedores sabe muito bem disso, e, assim, tem como missão promover e apoiar o empreendedorismo, oferecendo ao empresário todo tipo de ajuda, desde a abertura da empresa até sua gestão contábil, administrativa e financeira.

Acompanhe esse conteúdo especial que fizemos para você. E saiba que a qualquer instante, sempre que precisar, você pode contar com o apoio incondicional do Gerando Empreendedores e de seus Guardiões dos Empreendedores, especialistas em empreendedorismo prontos para lhe assessorar no mundo dos negócios.

Quanto custa abrir uma empresa

Todo empresário quer saber quanto custa abrir uma empresa. Não é uma pergunta simples de responder. Obviamente que os valores vão depender do tipo e do tamanho do negócio.

Há basicamente dois custos para abrir uma empresa: os serviços do contador, contratado para legalizar o negócio, e os impostos e taxas que são obrigatoriamente cobrados na formalização.

O valor cobrado pela assessoria empresarial para abrir seu negócio, vai depender do tipo de negócio e dos serviços que precisarão ser contratados. Também depende da cidade onde o negócio será estabelecido, afinal o valor da mão-de-obra de uma cidade como São Paulo não será a mesmo que o valor cobrado em um pequeno município de 50 mil habitantes, não é verdade? No caso dos grandes centros, os serviços de legalização custam, hoje, entre R$ 800,00 e R$ 2 mil, mas podem ultrapassar esse valor em casos específicos e diferenciados.

E os impostos e taxas? Pensando na abertura de uma Sociedade Limitada, uma Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli) ou um Empresário Individual (EI) na cidade de São Paulo, as taxas ficarão entre R$ 675,00 e R$ 751,00, claro que dependendo da atividade. Os impostos podem variar de acordo com a atividade e com a legislação tributária do município onde o negócio se estabelecerá. O valor do alvará municipal, por exemplo, varia muito de cidade para cidade.

Uma firma de engenharia, por exemplo, vai precisar pagar apenas pelo alvará municipal, as taxas de cartório, pelo laudo do Corpo de Bombeiros (se for uma loja de rua, pois prédios comerciais em geral já têm a autorização e home office não precisa) e pelo e-CPF dos sócios. A estes custos soma-se o valor do contador.

O registro da empresa na Junta Comercial

O primeiro passo da legalização de uma microempresa ou empresa, independente de seu tamanho, é o registro do contrato social na Junta Comercial. Feito isso, a empresa passa a “existir” e pode solicitar seu Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e abrir uma conta bancária.

Ao registrar o contrato social na Junta Comercial ou em um Cartório de Registro de Pessoa Jurídica a empresa terá acesso ao seu Número de Identificação de Registro de Empresa (Nire), exigido pela Receita Federal na emissão do CNPJ. É na Junta Comercial que será possível fazer a pesquisa de viabilidade do nome da empresa, porque duas firmas do mesmo setor não podem ter nomes iguais.

Empresário Individual, Eireli, Ltda., Sociedades Empresárias Anônimas, cooperativas e consórcios, entre outras, devem cumprir com essa obrigação. O microempreendedor individual (MEI) não precisa passar por essa etapa burocrática para obter seu CNPJ.

Os documentos necessários para registrar a empresa na Junta Comercial 

  • Requerimento padrão (via única);
  • Contrato social e estatuto (em três vias);
  • Cópia autenticada da carteira de identidade do titular ou administradores;
  • Ficha de Cadastro Nacional (FCN) nos modelos 1 e 2 (via única); e
  • Comprovante do pagamento das taxas.
  • Certificado Digital e-cpf dos sócios

Como contratar um contador? É importante para sua empresa?

A contratação de um escritório de contabilidade é obrigatória para realizar toda a contabilidade da firma, seja ela qual for (a exceção do MEI). Embora seja obrigatória, a contratação é fundamental para o bom andamento da empresa.

Há muito que a contabilidade deixou de ser apenas burocrática para registro do que entra e sai do caixa e emissão de guia de impostos (como ISS, Cofins e CSLL) e balanço patrimonial. A contabilidade moderna promove uma ampla assessoria de gestão contábil, administrativa e financeira, por meio de instrumentos como balancetes de verificação, entre outros, e utilizando métricas e metodologias em busca de informações profundas do negócio para a tomada de decisões gerenciais.

Como contratar um contador 

Em um primeiro momento, você precisará dos serviços do contador para legalização do negócio. Em seguida, ele fará toda a contabilidade da empresa e atuará como um verdadeiro conselheiro, ajudando na gestão e na tomada de decisões gerenciais e corporativas.

Para contratar um bom contador, você deve:

  • Pedir indicações para empresários amigos;
  • Visitar os escritórios dos contadores indicados;
  • Pedir para ver e analisar exemplos de relatórios produzidos pelo escritório:
  • Se informar sobre a estrutura que o escritório pode oferecer;
  • Acertar todos os detalhes da prestação de serviços para que não haja dúvidas e problemas futuros, como cobrança de taxas extras.

Falar com um Contador Especialista

Elaboração do contrato social

O contrato social é um documento obrigatório, seja a empresa do tamanho e da atividade que for. Ele é como uma certidão de nascimento; ali estarão registradas todas as informações relevantes sobre a empresa.

O contrato social registra como o negócio funciona, os direitos e as obrigações dos sócios, como será feita a divisão dos lucros, a definição do pró-labore, enfim, todas as informações da firma estarão definidas ali. Podemos dizer que este documento é como se fosse a Constituição da empresa.

Muito bem elaborado, o contrato social não dá margens para dúvidas. E é importante frisar que mal feito, pode trazer consequências nefastas para a empresa, até mesmo inviabilizar sua atuação em alguma atividade fim.

Vale lembrar que para obter o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) e abrir uma conta bancária de pessoa jurídica é preciso ter o contrato social registado. Fica fácil perceber a importância desse documento, por isso é fundamental entregar esse incumbência a um contador experiente.

As cláusulas obrigatórias de um contrato social 

No contrato social os sócios são qualificados, o nome e o tipo da empresa, os serviços e sua localização são definidos, bem como é registrada a participação dos sócios e administradores.

Há oito cláusulas obrigatórias. São elas:

I – nome, nacionalidade, estado civil, profissão e residência dos sócios, se pessoas naturais, e a firma ou a denominação, nacionalidade e sede dos sócios, se jurídicas;

II – denominação, objeto, sede e prazo da sociedade;

III – capital da sociedade, expresso em moeda corrente, podendo compreender qualquer espécie de bens, suscetíveis de avaliação pecuniária;

IV – a quota de cada sócio no capital social, e o modo de realizá-la;

V – as prestações a que se obriga o sócio, cuja contribuição consista em serviços;

VI – as pessoas naturais que administrarão a sociedade e seus poderes e atribuições;

VII – a participação de cada sócio nos lucros e nas perdas;

VIII – se os sócios respondem, ou não, subsidiariamente, pelas obrigações sociais.

Órgãos obrigatórios para registro

O passo a passo para legalização de uma empresa vai depender do ramo da atividade e da sua natureza jurídica, além das especificidades que estabelecem os municípios e estados. Mas, em geral, são os seguintes os órgãos obrigatórios para registro de uma empresa:

  • Secretaria Municipal de Fazenda (Alvará);
  • Secretaria Estadual de Fazenda (no caso de comércio);
  • Caixa Econômica Federal;
  • Receita Federal;
  • Junta Comercial e cartórios;
  • Vigilância Sanitária (atividades de alimentação, beleza e saúde);
  • Corpo de Bombeiros; e
  • Órgãos de regulamentação profissional (como OAB e Conselho Federal de Contabilidade, por exemplo).

Dicas para abrir uma empresa (os desafios financeiros)

A empresa está finalmente legalizada, funcionando e vendendo seus serviços ou produtos. Muitos desafios deverão ser enfrentados, e algumas dicas poderão lhe ajudar muito nestes momentos:

  • Faça uma pesquisa permanente do seu mercado e de seus concorrentes.
  • Os produtos ou serviços que você oferece são completos? Seus clientes precisam dele? Falta algo, que também pode ser oferecido? Avalie seus produtos constantemente.
  • Marketing digital é absolutamente relevante para você chegar aos seus consumidores. Invista nas redes sociais, com conteúdo relevante e focado.
  • Cuidar das finanças é obrigatório. Uma gestão financeira bem feita poderá fazer toda a diferença para o seu negócio. Converse com o seu contador sobre isso, pois ele é o profissional habilitado para lhe orientar e promover uma gestão financeira e tributária eficiente.

Capital inicial: o que é e como analisar a viabilidade financeira da empresa

Bem sucedido personal trainner que é, você finalmente decide abrir sua tão sonhada academia. Junta dinheiro, pede demissão do emprego atual e está pronto para se dedicar ao negócio próprio. Animado você está, mas será que se planejou corretamente? Você tem dinheiro suficiente para iniciar seu negócio?

Planejar é a palavra chave para qualquer empreendedor. É preciso estudar a viabilidade financeira do seu futuro empreendimento, para que a falta de capital não seja um balde de água fria e até motivo para o negócio não dar certo antes mesmo de ser iniciado.

Esse planejamento tem nome: plano de negócios. É neste documento, preparado com afinco antes da abertura do negócio, que você vai alinhar tudo sobre o empreendimento, incluindo nome, atividade, estudo da concorrência, ações de marketing, preços, expectativa de faturamento e, claro, os investimentos a serem feitos.

O capital inicial precisa ser capaz de arcar com todos os custos de abertura do negócio. No caso da academia, é preciso comprar aparelhos de ginástica, acessórios, reformar o local onde funcionará a academia, mandar fazer o letreiro, produzir uniformes para os colaboradores, enfim, há vários gastos que são imprescindíveis para a abertura do tão sonhado negócio próprio, seja ele qual for.

Adequar o capital inicial aos investimentos a serem feitos é fundamental para o início do seu negócio. E mais: o capital inicial (também conhecido como capital social) será utilizado para manter o negócio enquanto o lucro não vem. Mais uma vez, o contador poderá lhe ajudar nessa questão.

Não confunda capital social com capital de giro 

Não confunda capital social ou inicial com capital de giro! O capital de giro envolve os recursos que a empresa tem para pagar seus custos fixos e variáveis. E ele será muito útil em momentos de crise ou dificuldades. É dali que a empresa pagará seus funcionários, impostos, os fornecedores e outras despesas, incluindo aluguel e taxa de eletricidade.

Suas finanças pessoais e as finanças da empresa

Um dos maiores erros cometidos por muitos empreendedores é misturar suas finanças pessoais com as finanças da empresa. É muito comum encontrar empresários que utilizam o dinheiro da empresa para pagar contas pessoais, como jantares, compras de mercado e presentes, entre outros.

A empresa deve ter sua própria conta bancária, e todo seu movimento é registrado pela contabilidade. Quando o empresário utiliza a conta da empresa para seus gastos pessoais, os números se embaralham e criam uma desorganização financeira.

Se não bastasse, nunca é demais lembrar que o caixa da empresa existe para saldar seus compromissos. Quando o empresário utiliza a conta jurídica como se fosse sua, pode ter a impressão que tem mais dinheiro do que pensa e, consequentemente, aumentar seus gastos pessoais. Esse dinheiro, entretanto, está ali para pagamento de funcionários, de impostos e de fornecedores, entre outros.

O contador está apto a fazer uma assessoria financeira para o empresário, não deixando que essa mistura de contas atrapalhe as finanças da empresa. O empresário receberá os lucros e o seu pró-labore, portanto não precisa misturar as contas.

Erros que jamais podem ser cometidos ao abrir uma empresa

  • Ausência de planejamento: o plano de negócios é o primeiro passo para o sucesso de um empreendimento.
  • Falta de conhecimento sobre o ramo: é preciso estudar sobre a atividade que sua empresa vai exercer, para evitar surpresas desagradáveis e situações que prejudiquem o negócio no dia a dia.
  • Falta de gestão: é preciso prever como a empresa funcionará, quantos funcionários precisará, como serão os processos de gestão. Esses processos devem ser avaliados constantemente. Há uma área da empresa chamada controladoria que cuida exatamente disso. Converse com seu contador sobre esse assunto.

Cuidado com os empréstimos e as altas taxas de juros

Muitas vezes, tomar um empréstimo no mercado é fundamental para o seu negócio, seja para resolver um problema pontual de caixa ou mesmo para investir em melhorias ou no lançamento de um novo produto, por exemplo. Muitas empresas recorrem ao financiamento e, bem organizadas, cumprem com suas prestações e seguem adiante.

É preciso, no entanto, ter muito cuidado com o tipo de empréstimo feito. Empréstimos com altas taxas de juros podem desestabilizar as finanças de uma empresa, e isso pode se transformar em um verdadeiro tiro no pé.

Ao solicitar um empréstimo, descubra qual é a taxa de juros cobrada, mas pergunte para a instituição financeira também o Custo Efetivo Total (CET), que é, na verdade, o que você realmente pagará pelo empréstimo. O contador poderá lhe explicar exatamente o que é isso e lhe orientar na escolha da melhor opção. Em geral, as fintechs oferecem condições bem melhores, porque têm estrutura mais enxuta e um maior controle sobre a análise de crédito.

Dicas de como administrar seu negócio

Muitas pequenas empresas são totalmente administradas pelo empresário, que precisa dar conta da atividade fim – as vendas – mas também da gestão administrativa e financeira do negócio. É difícil dar conta de tudo, mas a gente sabe que empreender não é fácil mesmo, certo?

Muitos empresários se dedicam à atividade fim da empresa, e acabam pecando na gestão administrativa, financeira e tributária. É preciso saber administrar o negócio, e contar com um consultor especialista pode ser um diferencial nesta questão.

Controle suas compras e estoque 

Todo cuidado é pouco na gestão das compras e do estoque da empresa. Vamos imaginar uma pizzaria, que vende um determinado número de pizzas por semana. Ela precisa calcular o quanto vai gastar de matéria prima naquele mês e realizar suas compras, tendo o cuidado de não deixar faltar material caso haja piques de venda. Afinal, não atender a um cliente porque falta muçarela é inadmissível.

Agora, imagina se essa pizzaria descobre um novo fornecedor, que oferece a muçarela bem mais barata, mas exige um volume de compras duas ou três vezes maior para fornecer seu produto. Compensa? E se o queijo estragar? Ele vai se manter fresco neste período?

Controlar as compras e o estoque garante matéria prima e insumos para o funcionamento da empresa, sem faltas ou desperdícios.

Atenção máxima no fluxo de caixa 

Quais são os compromissos que sua empresa tem a saldar nos próximos 15 dias? Quanto dinheiro em caixa ela tem? Quanto tem a receber nesse período?

Controlar o fluxo de caixa é absolutamente relevante para a saúde financeira da sua empresa. Ter dinheiro em caixa significa arcar com todos os seus compromissos financeiros sem pagamento de multas e juros. Um fluxo de caixa controlado permite que a empresa funcione normalmente, sem problemas com pagamento de empregados, fornecedores, energia elétrica aluguel, impostos e etc.

A gestão financeira promovida pelo seu contador passa necessariamente pelo controle máximo do fluxo de caixa. Um fluxo de caixa desorganizado e descontrolado pode gerar prejuízos e até a necessidade da tomada de um empréstimo.

O contador e os sistemas integrados à contabilidade

Na contabilidade moderna, ou contabilidade gerencial empresarial, todo o negócio é visto e analisado de forma integrada, o que permite ao empresário uma visão realmente profunda e verdadeira da saúde financeira da empresa.

Em busca de resultados efetivos e de informações gerenciais que permitam decisões assertivas, o empresário deve utilizar os serviços da contabilidade de forma contínua. O contador é mais do que um assessor, é um conselheiro.

Uma assessoria contábil moderna oferece sistemas modernos que ajudam no gerenciamento dos números, analisando-os de uma forma mais detalhada. Os sistemas da empresa devem estar integrados à contabilidade, e isso fará toda a diferença na gestão.

As 3 principais dicas de quem vai abrir uma empresa

Planejar, se organizar, se dedicar e perseguir a eficiência dia e noite, o tempo inteiro. Esses são os principais pilares de sustentação de uma empresa de sucesso e devem ser assumidos por quem está abrindo uma nova empresa. Na verdade, não há segredos ou truques para uma boa gestão. O mercado esta aí, nos mostrando um sem números de empresas que dão certo e tantas outras que fecham suas portas, e tudo isso serve de aprendizado para todos empreendedores.

Atenção para o planejamento 

Planejar, planejar e planejar. Nada, numa empresa, deve ser feito no escuro, de supetão, por impulso. Absolutamente nada em uma empresa deve ser feito sem planejamento.

O planejamento permite ao empresário trabalhar com variáveis, ou seja diferentes cenários. Imagine, por exemplo, que uma confeitaria deixa para comprar chocolate quando o estoque mal dá para o dia seguinte. E se o fornecedor tiver um problema para entregar o produto? E se demorar mais dias para essa entrega, por conta de um atraso involuntário?

O planejamento obriga a empresa a pensar sobre suas operações, e esse é um passo decisivo para evitar erros, problemas e inconsistências.

Em busca de uma gestão eficiente 

Uma gestão eficiente é fundamental. De que adianta vender muito e não ter o produto para entregar? Ou vender por um preço que gere prejuízo? Do que adianta vender muito e não ter o produto para repô-lo nas prateleiras?

E mais: olhar para as vendas descuidando-se da produção e da gestão administrativa e financeira é um passo para a desorganização. Pode acreditar: uma má gestão vai se refletir nas vendas, ainda que isso leve um tempo para acontecer. E quando acontecer, vai ser aquele problema!

Uma assessoria contábil completa ajuda o empresário a gerir melhor sua empresa. Olhar para cada operação, para cada número, para cada problema da empresa garante seu melhor funcionamento e permite o crescimento.

Tenha sempre uma mentalidade de empreendedor 

Uma vez empreendedor, sempre empreendedor! A gente sabe muito bem o quanto é difícil empreender, e que essa atividade requer muito trabalho, comprometimento, responsabilidade e dedicação 24 horas por dia, sete dias por semana. Um empreendedor não pode baixar a guarda, porque seu negócio depende dele.

A gente não poderia fechar esse conteúdo sem falar na importância da mentalidade do empreendedor. Não há dúvidas de que os negócios que dão certo têm à sua frente um empreendedor que sempre pensa grande. Um empreendedor precisa ter uma mentalidade de empreendedor!

Ter mentalidade de empreendedor é ter atitude, coragem, crença no negócio, é apostar que é possível alcançar o sucesso, é pensar grande sempre. Um empreendedor vai enfrentar, ao longo da sua vida, inúmeros desafios e percalços, porque isso faz parte da vida. Mas o fará de cabeça erguida, forte no propósito de empreender, apostando e lutando pela vitória.

Falar com um Contador Especialista

 

Portal Gerando Empreendedores
Portal Gerando Empreendedores
A primeira escola de empreendedorismo no Brasil formada por Contadores e Financistas Especializados. Somos o maior apoio paras as Micro e Pequenas Empresas.
Preciso de Ajuda
Open chat